0

Ação do Facebook cai para menos de US$20 pela primeira vez

2 ago 2012
14h55
atualizado às 15h12

A ação do Facebook caiu para menos de US$ 20 pela primeira vez nesta quarta-feira, em meio a crescentes dúvidas sobre as perspectivas de crescimento, após uma série de executivos deixarem a empresa e o fim do período de proibição para funcionários da rede social venderem suas ações.

Ação da companhia atingiu menor valor desde abertura de capital, em 18 de maio
Ação da companhia atingiu menor valor desde abertura de capital, em 18 de maio
Foto: AP

O papel atingiu uma mínima de US$ 19,91 durante negociações de forte volume no início da tarde. A ação perdeu quase metade de seu valor desde que estreou a US$ 38 em maio, na maior oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de uma empresa do Vale do Silício.

A primeira de restrições ao papel do Facebook deixa de ser válida a partir de 16 de agosto, quando cerca de 271 milhões de ações serão disponibilizadas para negociações. Outros 243 papéis serão liberados entre meados de outubro e meados de novembro. Mas o dia para o qual investidores estão se preparando é 14 de novembro, quando mais de 1,2 bilhão de ações passam a ser acessíveis a negociações.

O iminente fim do bloqueio de vendas também significa que analistas que participaram do IPO do Facebook entrarão novamente em um período de silêncio de 30 dias, possivelmente gerando mais incerteza a respeito de um papel cuja estreia esteve entre as mais problemáticas já vistas pelo mercado.

A primeira empresa norte-americana a estrear com um valor de mercado de mais de US$ 100 bilhões, o Facebook perdeu a simpatia de Wall Street à medida que investidores passaram a se preocupar com desaceleração no crescimento de sua receita.

No segundo trimestre, o Facebook registrou crescimento de 32% em sua receita, ante mais de 100% de crescimento no mesmo período no ano anterior.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade