Negócios e TI

publicidade
23 de maio de 2012 • 10h36 • atualizado às 15h28

Acionistas processam Facebook por esconder informações no IPO

Ações da companhia vêm acumulando queda desde a oferta inicial, na sexta-feira
Foto: Reuters
 

O Facebook e o Morgan Stanley, principal coordenador da oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês)da rede social, foram processados por investidores, que dizem que os réus esconderam previsões rebaixadas de crescimento da rede social antes de seu IPO de US$ 16 bilhões.

O processo, que também tem como alvo o JPMorgan Chase e Goldman Sachs, entre outros, acontece em um momento no qual o Facebook e os bancos que o levaram à bolsa enfrentam muitos questionamentos sobre o processo de IPO, que resultou em uma tumultuada estreia dos papéis em 18 de maio, marcada por problemas técnicos.

As ações do Facebook caíram 18,4% ante seu preço de IPO de 38 dólares nos primeiros três dias de negociações. Nesta quarta-feira, às 15h00, os papéis avançavam 1,67%, a US$ 31,52. A ação legal acusa os réus, incluindo o presidente-executivo, Mark Zuckerberg, de esconderem "uma severa e pronunciada" redução nas previsões de crescimento da receita do Facebook, como resultado do aumento de acessos à rede social através de dispositivos móveis.

O Facebook também foi acusado no processo de dizer aos bancos que "rebaixassem materialmente" suas previsões para a companhia. "Os principais subscritores, no meio do roadshow, reduziram suas estimativas e não disseram a ninguém", afirmou Samuel Rudman, sócio no Robbins Geller Rudman & Dowd, que apresentou o processo. "Eu não acredito que nenhum investidor no Facebook não gostaria de ter conhecimento dessa informação".

Andrew Noyes, um porta-voz da rede social, rejeitou as reclamações. "Acreditamos que o processo não tenha mérito e nos defenderemos vigorosamente". O Morgan Stanley não quis comentar. O banco informou na terça-feira que os procedimentos para o IPO do Facebook foram feitos de acordo com todas as regulamentações aplicáveis.

O processo foi aberto em uma corte distrital de Manhattan e pede por compensação por danos e outras medidas. Na terça-feira, o escritório de advocacia Glancy Binkow & Goldberg informou ter aberto seu próprio processo em uma corte no Estado da Califórnia em nome de um investidor.

A Nasdaq OMX também foi processada, na terça-feira, por um investidor que alega que a operadora de bolsa foi negligente ao lidar com as reservas para as ações do Facebook.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.