publicidade
31 de julho de 2012 • 16h31 • atualizado em 31 de Julho de 2012 às 21h43

Apple alega que Samsung copiou deliberadamente o iPhone

Apple e Samsung se enfrentam em julgamento realizado desde segunda-feira no tribunal de San José, na Califórnia
Foto: Getty Images
 

A Samsung foi acusada de buscar inspiração nos produtos da Apple ao invés de inovar por conta própria, disse a companhia norte-americana em sua declaração de abertura no segundo dia de julgamento do caso envolvendo possíveis quebras de patentes. Documentos apresentados ao júri mostram que a Samsung afirmou, em uma análise interna, que competir com o iPhone seria inevitável, e que seu hardware era "fácil de copiar".

Em sua defesa, a empresa sul-coreana exaltou as características inovadoras do iPhone, mas garantiu que o telefone da Apple foi apenas uma inspiração para seus próprios celulares. "O iPhone foi um produto inspirador para todos", disseram os advogados da Samsung à corte em San José. "Ser inspirado por um produto se chama competição, não cópia."

O advogado da Apple Harold McIlhenny defendeu que a empresa fez uma aposta arriscada que deu certo ao desenvolver o iPhone, apresentado em 2007, e seus competidores - especialmente a Samsung - passaram a copiar seu design, levando os concorrentes a lucrar muito, e fazendo com que a Apple a perdesse mercado. No julgamento, a Apple afirmou que se lançou no mercado de telefonia sem qualquer reputação a defender, porém revolucionou a indústria com o iPhone.

"A Apple não tinha reputação a zelar, nenhuma credibilidade. O iPhone foi uma tentativa que, se tivese dado errado, poderia acabar com o futuro da companhia", disse McIlhenny aos jurados. Em suas considerações iniciais, a empresa norte-americana admitiu que a Samsung poderia ter inovado e, até mesmo, superado a Apple no mercado por mérito próprio, mas preferiu copiar o design e a interface do iPhone porque não era capaz de competir no mercado de smartphones com os aparelhos que possuía.

"Fomos roubados"
O designer industrial Christopher Stringer foi a primeira testemunha da Apple a depôr nesta terça-feira, depois das considerações iniciais do advogado. O funcionário está há 17 anos na Apple e contou como nasce um produto na empresa. "Nosso trabalho é imaginar produtos que não existem e orientar o processo que os leva à vida", afirmou. "Fomos roubados", disse durante o depoimento, se referindo ao design do iPhone.

Segundo ele, o objetivo da empresa quando pensou no iPhone foi construir um "objeto novo, original e belo". Ele disse que Steve Jobs tinha dúvidas quanto ao produto antes de seu anúncio, e que a equipe teve que resolver grandes problemas de engenharia. O designer afirmou que a Samsung é um dos criminosos mais notórios do design da empresa. "É um enorme salto na imaginação inventar algo novo. Isso foi o que nós fizemos", disse.

Com informações da Reuters.

Terra