5 eventos ao vivo

Apple licenciou patentes para Microsoft, declara executivo

13 ago 2012
14h50
atualizado às 15h12

A Apple licenciou à Microsoft patentes premiadas de design, mas com acordo anticlonagem para evitar imitação do iPhone e do iPad, afirmou nesta segunda-feira um executivo da Apple.

Em sua declaração inicial na corte, a Samsung foi acusada de buscar inspiração nos produtos da Apple ao invés de inovar por conta própria. O advogado da Apple Harold McIlhenny (C) defendeu que a empresa fez uma aposta arriscada que deu certo ao desenvolver o iPhone
Em sua declaração inicial na corte, a Samsung foi acusada de buscar inspiração nos produtos da Apple ao invés de inovar por conta própria. O advogado da Apple Harold McIlhenny (C) defendeu que a empresa fez uma aposta arriscada que deu certo ao desenvolver o iPhone
Foto: Reuters

Infográfico: Apple e Samsung se enfrentam no tribunal por patentes; entenda

O diretor de Licenciamento de Patentes da Apple, Boris Teksler, deu essa declaração em um dos mais importantes julgamentos sobre tecnologia em anos, em que a companhia norte-americana acusa a Samsung de plagiar o iPhone e o iPad, enquanto a sul-coreana acusa a concorrente de infringir várias patentes de tecnologia wireless.

A Apple procurou a Samsung em 2010 na esperança de fazer acordo para licenciamento de patentes antes de brigarem nos tribunais.

Teksler afirmou que a Apple ofereceu o licenciamento de uma série de patentes, embora tivesse uma categoria de patentes altamente protegidas, relacionadas ao que ele chamou de "experiência única de usuário".

Essa categoria incluía patentes que estão em disputa no processo, como as relacionadas ao visual de iPhone e iPad. Teksler declarou na semana passa aos jurados que poderia contar "nos dedos" as vezes que a Apple licenciou tais patentes.

As negociações entre Apple e Samsung não resultaram em nenhum acordo de licenciamento e a primeira companhia entrou com processo em San Jose (Califórnia) em abril de 2011.

A decisão de licenciar as patentes de design à Microsoft não feria a estratégia da Apple porque proibia fazer imitações, disse Teksler.

"Não havia nenhuma autorização relacionada a essas patentes para fazer clones de qualquer tipo", afirmou o diretor.

O julgamento Apple x Samsung
Um júri formado por 10 pessoas irá decidir se alguma das empresas quebrou alguma patente da concorrente no desenvolvimento de seus produtos. O julgamento do caso no tribunal de San José, na Califórnia, é o primeiro de uma série de processos que as empresas movem contra a outra em 10 países.

A Apple pede na Justiça uma reparação de mais de US$ 2,5 bilhões, alegando que a Samsung se tornou líder no mercado de smartphones copiando o design, as funcionalidades e a aparência geral dos seus produtos. A companhia americana tenta provar ao júri que a sul-coreana quebrou nove de suas patentes no desenvolvimento de mais de 20 produtos, entre eles o smartphone Galaxy S II e o tablet Galaxy Tab 10.1.

Já a Samsung diz que a Apple está tentando reprimir a competição com o bloqueio da venda de seus produtos, diminuindo a escolha dos consumidores para "manter seus lucros historicamente exorbitantes". A sul-coreana alega que a Apple quebrou duas patentes essenciais para transmissão de dados 3G e outras três sobre funcionalidades dos aparelhos.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade