0

Apple recebe documento contra condições de trabalho em fábricas

9 fev 2012
19h24
Bruno Maestrini
Direto de São Francisco (EUA)

Um documento contendo 250 mil assinaturas foi entregue à Apple nesta quinta-feira em São Francisco, Estados Unidos, em protesto contra as condições de trabalho em suas fábricas na China. Os nomes também foram entregues em sete outras lojas da Apple ao redor dor mundo. "Queremos transparência das condições de trabalho em qualquer lugar do mundo, inclusive no Brasil", disse Charlotte Hill, porta voz da chance.org, organização que arrecadou os nomes através de seu site.

Charlotte Hill, porta-voz da chance.org,  entrega o documento para o representante da Apple
Charlotte Hill, porta-voz da chance.org, entrega o documento para o representante da Apple
Foto: Bruno Maestrini / Especial para Terra

"Os trabalhadores chineses não recebem hora extra, utilizam químicos nocivos à saúde e fazem movimentos repetitivos por horas a fio, em pé.Algumas pessoas perderam o uso das mãos e pernas por completo. Amamos os nossos iPhones e nossos produtos da Apple, mas consideramos que nenhum telefone valha mais do que a saúde de uma pessoa", completou Hill.

Ben Rattray, CEO da chance.org, disse que este movimento não tem como alvo a Apple em específico, mas todas companhias que utilizam o mesmo tipo de mão de obra. "A Apple, por ser uma empresa icônica e tão respeitada, pode influenciar o mundo inteiro se melhorar as condições de seus funcionários. Isto afetará a vida de dezenas de milhões de pessoas", disse.

"É importante dizer que este movimento não foi iniciado por uma organização, que por sua vez coletou as assinaturas, mas por indivíduos independentes preocupados com a qualidade de vida de outras pessoas", completou.

Um grupo de 36 pessoas estava presente na loja de São Francisco. O documento impresso de centenas de páginas foi entregue a um representante da empresa, que educadamente agradeceu aos manifestantes e prometeu repassar as informações a seus superiores para análise.

"Muito obrigado por nos alertar para isto. Levarei o documento para meus superiores que analisarão e lhes daremos uma resposta", disse o representante.

Especial para Terra

compartilhe

publicidade
publicidade