Negócios e TI

publicidade
13 de agosto de 2012 • 13h26 • atualizado às 13h32

Apple tentou licenciar suas patentes à Samsung em 2010

Comparação mostra os modelos de tablets da Samsung lançados antes (E) e depois (D) do iPad, da Apple (C), em uma tentativa da americana de provar que os produtos da sul-coreana copiam seu design
Foto: Reuters

Antes de processar a Samsung, a Apple tentou licenciar suas patentes através de um programa de proteção a seus direitos supostamente violados. Apesar de, historicamente, a companhia americana evitar licenciar partes de seus produtos consideradas "não essenciais", uma exceção foi aberta à empresa sul-coreana em 2010, segundo o AllThingsD.

Infográfico: Apple e Samsung se enfrentam no tribunal por patentes; entenda

A proposta foi apresentada em 2010, ano de lançamento da série de smartphones Galaxy S - cujo design é muito semelhante ao do iPhone, segundo a Apple. Foi proposto à Samsung que revertesse US$ 30 na venda de cada celular e US$ 40 de cada tablet para a desenvolvedora do iPad. A sugestão foi considerada irreal e as negociações, abandonadas. Agora, a Apple pede na Justiça uma reparação de mais de US$ 2,5 bilhões por violação de patentes.

O julgamento Apple x Samsung
Um júri formado por 10 pessoas irá decidir se alguma das empresas quebrou alguma patente da concorrente no desenvolvimento de seus produtos. O julgamento do caso no tribunal de San José, na Califórnia, é o primeiro de uma série de processos que as empresas movem contra a outra em 10 países.

A Apple pede na Justiça uma reparação de mais de US$ 2,5 bilhões, alegando que a Samsung se tornou líder no mercado de smartphones copiando o design, as funcionalidades e a aparência geral dos seus produtos. A companhia americana tenta provar ao júri que a sul-coreana quebrou nove de suas patentes no desenvolvimento de mais de 20 produtos, entre eles o smartphone Galaxy S II e o tablet Galaxy Tab 10.1.

Já a Samsung diz que a Apple está tentando reprimir a competição com o bloqueio da venda de seus produtos, diminuindo a escolha dos consumidores para "manter seus lucros historicamente exorbitantes". A sul-coreana alega que a Apple quebrou duas patentes essenciais para transmissão de dados 3G e outras três sobre funcionalidades dos aparelhos.

Terra