1 evento ao vivo

CEO da Apple diz que empresa paga todos os impostos que deve

Tim Cook respondeu as perguntas dos senadores americanos sobre uma possível sonegação de impostos

21 mai 2013
13h28
atualizado às 18h14
  • separator
  • 0
  • comentários

Tim Cook, CEO da Apple, respondeu nesta terça-feira (21), na Subcomissão Permanente de Investigações do Senado americano, com veêmencia as acusações do governo dos Estados Unidos de que a empresa utiliza algumas filiais no exterior para evitar o pagamento de impostos. O comitê liderado pelos senadores Carl Levin, do partido democrata e John McCain, republicano, disseram, após investigação, que a Apple mantinha bilhões de dólares em lucros em subsidiárias irlandesas para evitar impostos nos Estados Unidos.

O CEO da Apple, Tim Cook, presta depoimento no Senado, após relatório acusar a empresa de deixar de pegar bilhões em impostos
O CEO da Apple, Tim Cook, presta depoimento no Senado, após relatório acusar a empresa de deixar de pegar bilhões em impostos
Foto: Reuters

O senador Carl Levin, que conduziu diversas investigações sobre assuntos fiscais como chairman do Subcomitê Permanente de Investigações, disse que a Apple desviou bilhões de dólares em lucros no exterior para evitar impostos norte-americanos em escala maciça. Somente em 2012, segundo Levin, a Apple evitou pagar 9 bilhões de dólares em impostos dos EUA.

Tim Cook foi enfático na defesa da empresa. Falou da contribuição da Apple para a economia dos EUA, dizendo que a empresa cria milhares de empregos, graças aos novos produtos e serviços, como a App Store. Ele também disse que a empresa apoia uma simplificação "dramática" das leis tributárias dos EUA.

"Nós pagamos todos os impostos que devemos. Cada dólar. Não dependemos de truques fiscais. Não movemos a propriedade intelectual para o exterior e usamos isso para vender nossos produtos de volta para os Estados Unidos para evitar impostos. Somente no ano passado, pagamos cerca de US$ 6 bilhões para o governo federal. A Apple tornou-se a maior pagadora de imposto nos Estados Unidos. Nós não escondemos dinheiro no Caribe".

Alguns senadores chamaram a empresa de "parasita fiscal", em função das acusações de utilizar as filiais fora dos EUA para evitar o pagamento de tributos ao governo americano.

Peter Oppenheimer, vice-presidente sênior e diretor financeiro da Apple explicou a estrutura das operações domésticas e internacionais da empresa. Falou com detalhes do funcionamento da filial irlandesa, que está no centro das denúncias sobre subsidiárias no exterior. Peter explicou que o controle e gestão desta filial é feito nos EUA, em conformidade com a lei.
"Nossa operação na Irlanda está em plena conformidade com todas as leis, permitindo que a Apple "compartilhe os riscos"de produtos em desenvolvimento".

O CFO da Apple, Peter Oppenheimer, o CEO Tim Cook e o chefe de ioperações de impostos Philip Bullock fazem juramento antes de depôr no Senado dos EUA
O CFO da Apple, Peter Oppenheimer, o CEO Tim Cook e o chefe de ioperações de impostos Philip Bullock fazem juramento antes de depôr no Senado dos EUA
Foto: Reuters

Peter Oppenheimer concorda um dos grandes subsidiárias irlandesas da Apple não é um residente fiscal de qualquer país, embora os juros auferidos sobre as dezenas de bilhões de dólares que detém é tributado na América.
O comitê e os peritos chamados para depor sobre a possível snoegação de impostos da Apple, reconheceu que a empresa não tem feito nada de ilegal e que utiliza o código fiscal da mesma maneira que outras multinacionais norte-americanas.
 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade