0

Em 5º dia de ataques, hackers derrubam sites de vários bancos

3 fev 2012
11h42
atualizado às 18h22
  • separator

Hackers ligados ao Anonymous seguem com a semana de ataques a sites de bancos. Nesta sexta-feira, o grupo afirmou no perfil @AnonBRNews, no Twitter, que tirou do ar a página do Citibank Brasil por volta das 11h30. Também ao final da manhã, o mesmo grupo afirmou pelo microblog que o site do banco Panamericano foi derrubado, assim como o do BMG e o da Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Às 12h45, o site da Febraban estava fora do ar, como verificou o Terra
Às 12h45, o site da Febraban estava fora do ar, como verificou o Terra
Foto: Reprodução

O grupo anunciou pela rede de microblogs o fim dos ataques somente por volta das 17h40. "Estamos suspendendo fogo e encerrando oficialmente esta operação! Agradecemos pelo apoio e compreensão de todos!", afirmou o grupo pelo seu perfil no Twitter.

Já no início da tarde, por volta das 13h, os hackers disseram ter conseguido derrubar o site da Caixa Econômica Federal (CEF). Minutos depois, o site da Cielo, da operadora brasileira de cartões de débito e de crédito também ficou fora do ar. Por volta das 16h30, o ataque foi contra a RedeCard, que também gerencia cartões de débito e crédito.

Este é o quinto dia de ataque da operação #OpWeeksPayment, que, na segunda-feira, derrubou o site do Itaú, na terça do Bradesco, na quarta-feira o do Banco do Brasil, na quinta-feira o do HSBC e, também nesta sexta, o site do Banco Central.

Segundo informações dos grupos @AntiSecBrTeam e @iPirateGroup, que coordenam a ação, será atacado um banco por dia até esta sexta-feira, com indisponibilidade prevista de 12 horas. Esta semana foi escolhida por ser o período de pagamento das principais empresas, com grande volume de transações pela internet. O objetivo, de acordo com os hackers, é chamar a atenção das pessoas para o Anonymous e o objetivo do movimento.

Até às 11h43, o site do Citibank Brasil continuava fora do ar. Às 11h50, o site do Panamericano apresentava funcionamento normal. Às 12h34, o site do BMG mantinha fluxo também normal de funcionamento. Às 12h45, o site da Febraban estava fora do ar, conforme verificou o Terra, assim como, às 14h29, estava o do Cielo e , às 16h30, o da RedeCard. O site da CEF estava no ar às 13h50. Os horários se referem aos minutos posteriormente próximos aos anúncios de queda feitos pelo Anonymous.

Posicionamento dos bancos
A assessoria de comunicaçao do Banco Central afirmou que a queda do site se deveu à sobrecarga de acesso, fazendo que, por alguns minutos, o site do governo ficasse fora do ar na manhã desta sexta-feira.

O banco BMG também alegou instabilidade devida à sobrecarga de acessos. Já o PanAmericano afirmou que, por volta das 14h30, o site estava indisponível naquele momento "possivelmente por sobrecarga de acessos".

A assessoria da Febraban reconheceu que "um volume de acessos acima do habitual no começo da tarde" deixou o site instável, mas sem afetar os sistemas internos da entidade.

Os demais bancos ainda não se pronunciaram oficialmente ao Terra.

Febraban
Em nota divulgada nesta semana, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) afirmou que "os ataques a sites dos bancos, se bem sucedidos, atingiriam e prejudicariam a população que utiliza os serviços eletrônicos para obter informações e realizar transações bancárias". O texto também menciona "mecanismos e contingências" das instituições financeiras para impedir os ataques. O comunicado conclui afirmando que a federação "vem postulando com empenho a aprovação de lei especifica que criminalize ataques e fraudes eletrônicas".

Controverso
No Facebook, a página Plano Anonymous Brasil - também atribuída ao grupo hacker - nega que os ataques desta semana tenham relação com o coletivo de ciberativistas. "Anonymous não tem como alvo a sociedade, os prejudicados por esta ação são única e exclusivamente os cidadãos", diz a mensagem publicada por volta das 14h30 desta terça-feira. Segundo o texto, a operação seria obra dos hackers do "@AntisecBrTeam, @iPiratesGroup e a @Lulzsecbrazil, grupos estes, que se declararam contra o Anonymous abertamente, e estão executando essa ação como tentativa de desmoralizar o coletivo". A nota termina pedindo para que as pessoas que não concordam com o ataque compartilhem o post.

Veja também:

Como a Tesla fez de Musk a 2ª pessoa mais rica do mundo
Fonte: Terra
publicidade