0

Google lucra com anúncios de ingressos ilegais, diz BBC

11 jan 2012
13h48
atualizado às 13h56

O Google lucra com os produtos ilegais que aparecem nos resultados de pesquisa graças ao seu sitema automatizado de anúncios publicitários segundo informações da BBC . Dentre as falsas publicidades que rendem também para o Google estão links não oficiais de revendedores de ingressos para os Jogos Olímpicos de Londres em 2012, vendedores de maconha e até de identidade falsa.

 O logotipo do Google é visto na entrada da sede da empresa em Mountain View, na Califórnia, Estados Unidos
O logotipo do Google é visto na entrada da sede da empresa em Mountain View, na Califórnia, Estados Unidos
Foto: AFP

Todo a investigação da BBc começou quando uma família contou a um programa de rádio da rede britânica que clicou nos primeiros resultados patrocinados de buscas do Google para comprar ingressos para os Jogos Olímpicos, mas não recebeu os bilhetes. O site LiveOlympicTickets, para o qual a família foi redirecionada, não é um canal de vendas oficial das Olimpíadas. A venda de ingressos sem a permissão das autoridades responsáveis pelos Jogos Olímpicos é considerada crime no Reino Unido.

A família fez contato com o Google, que respondeu que "embora o Google AdWords forneça uma plataforma para as empresas anunciarem seus serviços, nós não somos responsáveis, nem somos capazes de monitorar as ações de cada empresa". Ainda de acordo com a BBC os anúncios foram removidos logo após a publicação da reportagem, na quarta-feira.

O AdWords do Google faz filtro de palavras-chave, o que poderia ajudar a peneirar anúncios que oferecem serviços ilegais. Entretanto, vale lembrar que o sistema de publicidade do Google é parcialmente automatizado e que é assim que são selecionadas as propagandas que aparecem no topo dos resultados de sua pesquisa.

O gigante das buscas, por sua vez, disse que "temos um conjunto de políticas que identifica os anúncios que podem e não podem ser mostrados no Google. Estas políticas e diretrizes são aplicadas por ambos os sistemas automatizados e seres humanos. Quando somos informados de anúncios que quebram as nossas políticas, nós investigamos e removêmos-os se for o caso. Nosso objetivo é criar uma maneira simples e eficiente para empresas legítimas promoverem e venderem seus bens e serviços ao mesmo tempo em que protegemos os consumidores de atividades ilícitas".

Essa não é primeira reclamação do tipo: os links patrocinados do Google já se revelaram caros no passado. Em agosto de 2011, o Google concordou em perder US$ 500 milhões pela publicação de anúncios de farmácias canadenses que vendiam drogas ilegais para os clientes nos Estados Unidos.

À BB , o assessor de segurança online, Reg Walker, disse que um processo automatizado como o do Google AdWords é fraco e que é fácil digitar palavras-chaves no Google e encontrar sites ilegais. Além disso, o próprio Google lembra que a qualidade dos anúncios e o quanto pagam os anunciantes interferem na classificação da publicidade no ranking de resultados de buscas.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade