0

Kindle: tablets Android devem baixar; PlayBook já teve desconto

29 set 2011
11h12
atualizado às 11h49
  • separator

As companhias de tecnologia asiáticas sofreram pressão de corte de preços de seus computadores tablet depois que a Amazon.com lançou o Kindle Fire por US$ 199. De acordo com o site Digital Trends, o PlayBook, tablet de sete polegadas da Research In Motion (RIM), fabricante dos smartphone BlackBerry, já teria "sentido o calor" do Kindle Fire. Segundo o texto, as duas versões do dispositivo tiveram seus preços reduzidos em US$ 200.

Tablet da Amazon tem navegador para acesso à internet
Tablet da Amazon tem navegador para acesso à internet
Foto: AFP

O PlayBook de 16 GB era vendido por US$ 499 na Best Buy, famosa rede de lojas dos Estados Unidos, e passou a ser comercializado por US$ 299. Já a versão de 32 GB passou de US$ 599 para U$ 399, enquanto o modelo de 64 GB foi de US$ 699 dólares US$ 499 dólares. O Kindle Fire, que começa a ser vendido em 15 de novembro por US$ 199 tem 8 GB.

Empresas que vão de Samsung Electronics à Sony, os grandes fabricantes asiáticos de tablets têm planos ambiciosos para enfrentar a Apple, cujo iPad é o aparelho de referência nesse mercado crescente. Mas com produtos claramente parecidos e preços muito próximos aos US$ 499 do iPad básico, nenhuma delas conseguiu capturar mercado significativo junto aos consumidores da Apple.

Até o momento, a Samsung vem sendo a candidata mais convincente a rival do iPad, e alguns analistas sugeriram que ela poderia perder sua segunda posição no mercado de tablets para o Fire. A campanha de marketing dos tablets da companhia sul-coreana também vem enfrentando problemas nos últimos meses devido aos esforços judiciais da Apple para impedir a venda de tablets Samsung na Austrália, Estados Unidos e Alemanha, alegando violações de patentes e outras irregularidades.

O Kindle Fire, embora não disponha de muitos dos recursos mais avançados comuns em outros tablets, de câmeras a conexão 3G, pode representar o ponto final para muitos dos aparelhos concebidos em torno do sistema operacional Google Android.

"A escolha de preço é crucial para ganhar força no mercado de tablets. Os fabricantes rivais não conseguiram atrair consumidores porque acompanharam o preço do iPad sem acompanhar sua oferta de conteúdo", disse Adam Leach, analista do grupo de pesquisa Ovum.

"O modelo de negócios da Amazon, que tem por base o varejo, permite que a companhia subsidie o aparelho sob a premissa de que seus usuários comprarão mais em seus sites, seja conteúdo digital, sejam produtos físicos."

Galaxy Tab, da Samsung; Zoom, da Motorola Mobility; e muitos outros aparelhos da Acer e Asustek funcionam com o Android, que a Amazon também usa no Kindle Fire, combinado à sua loja online.

Veja também:

Veja como funciona a Bixby, assistente de voz da Samsung
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade