1 evento ao vivo

Por Android, Google adquire divisão da Motorola por US$ 12,5 bi

15 ago 2011
08h46
atualizado às 10h17
  • separator

O Google anunciou nesta segunda-feira que vai comprar a Motorola Mobility, divisão responsável pelos dispositivos móveis da Motorola, por cerca de US$ 12,5 bilhões em dinheiro segundo informações da Reuters. A oferta equivale a US$ 40 por ação e representa um ágio de 63% sobre o valor de fechamento da ação da Motorola na bolsa de valores de Nova York, na sexta-feira. As ações da Motorola disparavam 59% no pregão eletrônico desta segunda-feira. O anúncio ocorre no momento em que o Google sofre ataques vindos de outras empresas, como Microsoft e Apple, por questões de patente do Android, seu sistema operacional. A compra deve ser concluída até o final deste ano ou início de 2012.

O Google anunciou nesta segunda-feira que vai comprar a Motorola Mobility, divisão responsável pelos dispositivos móveis da Motorola, por cerca de US$ 12,5 bilhões. Na foto, o tablet Motorola Mobility Xoom é apresentado no escritório central do Google, na Califórnia
O Google anunciou nesta segunda-feira que vai comprar a Motorola Mobility, divisão responsável pelos dispositivos móveis da Motorola, por cerca de US$ 12,5 bilhões. Na foto, o tablet Motorola Mobility Xoom é apresentado no escritório central do Google, na Califórnia
Foto: AP

No blog oficial do Google, Larry Page, CEO da empresa, afirma que aquisição da Motorola Mobility foi motivada pelo enorme sucesso do Android. Em um longo texto, ele lembra que em 2007 a Motorola foi membro fundador da Open Handset Alliance, grupo de companhias de tecnologia que trabalharam para tornar o Android a primeira plataforma realmente aberta e abrangente para aparelhos móveis. Além disso, já em 2008, a Motorola fez uma grande aposta no Android enquanto sistema operacional único de todos os seus dispositivos móveis, o que, segundo Page, "foi uma aposta inteligente".

A Motorola, conforme o próprio Google conta em seu post, tem uma história de mais de 80 anos de inovação em comunicação, tecnologia, produtos e no desenvolvimento de propriedade intelectual, conhecimentos estes que fizeram da Motorola uma das empresas responsáveis pela revolução na computação móvel que todos desfrutam hoje. Seus marcos indústriais incluem a introdução dos primeiros telefones celulares portáteis do mundo há quase 30 anos, e o StarTAC, o mais leve e menor celular da Terra no momento do seu lançamento.

Juntos, escreve Page no blog oficial do Google, "vamos criar experiências de usuário incríveis que utilizam o ecossistema Android por inteiro para o benefício dos consumidores, dos parceiros e dos desenvolvedores em todo lugar". "Esta aquisição não vai mudar o nosso compromisso de executar o Android como uma plataforma aberta. A Motorola continuará a ser um licenciado do Android e o Android permanecerá aberto. Vamos correr com a Motorola como uma empresa separada. Muitos parceiros de hardware têm contribuído para o sucesso do Android, e estamos ansiosos para continuar a trabalhar com todos eles para oferecer experiências de usuário melhores", afirma ele.

Sanjay Jha, CEO da Motorola Mobility, disse em comunicado da Motorola à imprensa que "esta transação oferece valor significativo para os acionistas da Motorola Mobility e oferece novas oportunidades atraentes para nossos funcionários, clientes e parceiros em todo o mundo. Nós compartilhamos uma parceria produtiva com o Google para avançar na plataforma Android, e agora através desta combinação poderemos fazer ainda mais para inovar e oferecer soluções de mobilidade excelente em todos os dispositivos móveis e negócios em casa".Andy Rubin, vice-presidente sênior de Mobile do Google, disse esperar "que esta combinação nos permita abrir novos caminhos para o ecossistema Android. No entanto, nossa visão para o Android é inalterada e o Google continua firmemente empenhado em trabalhar com o Android como uma plataforma aberta e com uma comunidade vibrante de open source. Continuaremos a trabalhar com todos os nossos parceiros valorizando o Android para desenvolver e distribuir inovadores dispositivos baseados em Android", afirmou ele em comunicado da Motorola Mobility.

Patentes
Recentemente, lembra Page, o Google explicou como as empresas, incluindo Microsoft e Apple, estão se unindo, na visão do gigante das buscas, em ataques anti-competitivos de patentes contra o Android. "O Departamento de Justiça dos Estados Unidos teve de intervir nos resultados de um leilão de patentes para 'proteger a concorrência e a inovação na comunidade de software open source' e está atualmente analisando os resultados do leilão Nortel", conta Larry Page em seu post. Sendo assim, a aquisição da Motorola teria como objetivo aumentar a concorrência através do reforço da carteira de patentes do Google, que permitirá ao Google "proteger melhor o Android das ameaças anti-competitivas da Microsoft, Apple e de outras empresas".

No início deste mês, após o Google ter perdido um leilão para compra de milhares de patentes da falida Nortel, o diretor da área jurídica da companhia de buscas, David Drummond, criticou Microsoft, Apple, Oracle e "outras empresas". O executivo acusou as companhias de atuarem em conjunto para obterem as patentes da Nortel e prejudicarem o desenvolvimento do Android.

O futuro do Android
"A combinação do Google e Motorola não só irá melhorar o Android, mas também melhorar a conconcorrência e oferecer aos consumidores uma aceleração da inovação, dandos-lhe maior possibilidade de escolha, e experiências de usuários maravilhosas", escreve Page em no comunicado. "Estou confiante de que essas grandes experiências criarão um enorme valor para os acionistas. Estou ansioso para receber os funcionários da Motorola na nossa família de Googlers".

Hoje, mais de 150 milhões de aparelhos com Android foram ativados em todo o mundo, sendo que mais de 550 mi dispositivos nascem todos os dias, através de uma rede de cerca de 39 fabricantes e 231 operadoras em 123 países.

Com informações da Reuters.

Veja também:

Veja como funciona a Bixby, assistente de voz da Samsung
Fonte: Terra
publicidade