Negócios e TI

publicidade
25 de fevereiro de 2013 • 19h23 • atualizado às 19h24

Yahoo vai acabar com o trabalho remoto a partir de junho

Medida anunciada pela CEO da empresa Marissa Mayer é vista com estranhamento em outras empresas. Teletrabalho é tendência na TI

Marissa Mayer
Foto: EFE
 

O anúncio da CEO do Yahoo, Marissa Mayer, ex-funcionária do Google, na semana passada foi recebido com estranhamento na mídia. Ela deu fim a uma tendênca no mercado de tecnologia: o trabalho de casa. A informação é do blog All Things D, que faz parte do Wall Street Journal.

Dentro das novas regras, os trabalhadores que desempenhavam suas funções remotamente, de casa ou outros locais, agora deverão se juntar à equipe fisicamente. "Nós precisamos ser um Yahoo só, eisso começa por estar fisicamente juntos", escreveu Marissa.

Segundo o All Things D, a medida terá impacto sobre centenas de empregados da empresa. A mudança começa no mês de junho dentro do Yahoo. A partir da data, os empregados da empresa deverão aceitar a regra ou se demitir.

De acordo com o site NPR, a medida vai contra a movimentação geral da indústria de tecnologia, que tende a liberar o trabalho remoto.

"Dez anos atrás isso (trabalho remoto) era mais um benefício para o empretado. Hoje, os negócios ao redor do mundo estão vendo essa medida como uma necessidade para o mercado", disse Ron Markezich, o vide-presidente corporativo da Microsoft nos Estados Unidos. Em 2011, Markezich liderou uma pesquisa com mais de 4,5 mil trabalhadores da área que mostrava o crescimento do 'teletrabalho'.

Segundo o NPR, além de empresas de tecnologia, o próprio governo tem adotado o método nos Estados Unidos. Em sua nota aos empregados, Marissa Mayer declarou que a mudança tem como objetivo aumentar a colaboração e a comunicação dentro da empresa. "Precisamos trabalhar lado a lado", argumentou.

Conheça outras mulheres poderosas da tecnologia

Terra Terra