0

Neutralidade na rede marca a abertura do fisl 12

29 jun 2011
19h34
atualizado às 20h42
Ismael Cardoso
Direto de Porto Alegre

O governador do RS, Tarso Genro, o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, o presidente da Assembleia Legislativa do RS, Adão Villaverde e o coordenador geral da Associação Software Livre, Ricardo Fritsch, entre outras autoridades, participaram da abertura oficial do 12º fórum internacional software livre nesta quarta-feira. O tema central desta edição do fisl, a neutralidade na rede, foi assunto entre os presentes e, junto com a assinatura do Protocolo Brasília, marcou a cerimônia.

Autoridades assinaram o Protocolo Brasília na abertura do fisl
Autoridades assinaram o Protocolo Brasília na abertura do fisl
Foto: Nabor Goulart/Ag Freelancer / Especial para Terra

Pelo Protocolo Brasília, os governos do RS e da capital gaúcha, além da Assembleia, se comprometem a adotar formatos abertos de arquivos para armazenamento e distribuição de textos, planilhas e apresentações.

Fritsch afirmou que a neutralidade na rede (tema da edição deste ano) e a liberdade estão interligados. "A informação não deve ser filtrada. Qualquer arquivo deve poder ser copiado, alterado e distribuido", defendeu ele, que chamou o movimento do software livre de "o maior movimento social orgnizado".

Fritsch comentou o que chamou de "pseudoataques" aos sites do governo federal, que segundo ele, colocaram em risco a liberdade, a neutralidade e a transparência da rede no País. "Os que não gostam de liberdade colocaram em pauta novamente o AI-5 digital (referindo-se ao projeto de lei do senador Eduardo Azeredo que tipifica como crime alguns atos cometidos pela internet) por causa de um conjunto de ataques mal-feitos", disse.

O governador gaúcho também comentou o projeto, que foi levado à votação na tarde desra quarta feira na Câmara, após os ataques. "Foi a comunidade do software livre que chamou a atenção para este projeto quando eu era ministro, em um momento em que o ministério não estava dando a devida atenção para o assunto", disse.

O presidente do Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), Marcos Mazoni, comemorou o uso do software livre nos sistemas do governo federal - desde programas da Receita Federal até o controle de entrada e saida dos portos brasileiros. "Todo controle de rede do governo usa software livre", afirmou, garantindo que os ataques do grupo LulzSecBrazil não causaram problemas ao sistema, mostrando a segurança de uso de softwares com código aberto.

A 12ª edição do fisl se realiza até o próximo sábado no Centro de Eventos da PUC-RS, das 9h às 18h. A grade completa da programação e mais informações sobre o evento podem ser encontradas no site http://softwarelivre.org/fisl12.

Terra

compartilhe

publicidade
publicidade