inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Sites testam a velocidade da conexão à Internet

14 de dezembro de 2006 15h24 atualizado às 16h09

Serviço oferece vários srevidores para testar a conexão . Foto: Reprodução

Serviço oferece vários srevidores para testar a conexão
Foto: Reprodução

Pelo menos quatro serviços totalmente online ajudam o usuário na hora de conferir a velocidade da conexão à Internet. Confira:

Qual é o seu tipo de acesso à Internet?
Acesso discado
ADSL
Cabo
Rádio
Rede corporativa (LAN)
Satélite
Wi-Fi (sem fio)

Speedtest.net
www.speedtest.net

  • Veja uma tela ampliada

    O mais bacana é o Speedtest.net, que mostra um mapa com vários servidores espalhados pelo mundo. Basta selecionar um deles e o serviço simula o envio e o recebimento de um pacote de dados a partir do ponto de origem. O visual do Speedtest.net lembra o painel de um carro, com direito a velocímetro e tudo. Depois de efetuada a simulação, o serviço apresenta um relatório da operação.

    InternetFrog
    www.internetfrog.com/mypc/speedtest

  • Veja uma tela ampliada

    O teste do site InternetFrog também é bastante interessante. Por meio de um gráfico, ele apresenta tanto a velocidade de donwload (recebimento) como de upload (envio). Além disso, insere ambos os resultados em uma tabela com as velocidades que costumam ser oferecidas pelos provedores, do modem 14.400 Kbps à banda larga T4, de nada menos do que 274 Mbps.

    AuditMyPC
    www.auditmypc.com/internet-speed-test.asp

  • Veja uma tela ampliada

    O teste do AuditMyPC é bastante similar ao serviço anterior. Os resultados também são apresentados por meio de tabelas de velocidades, uma para download e a outra, para upload. A diferença é que o gráficos do InternetFrog é mais intuitiva. O serviço de medição de velocidade do AuditMyPC estava fora do ar no momento da conclusão deste artigo.

    Cnet
    reviews.cnet.com/7004-7254_7-0.html

  • Veja uma tela ampliada

    O serviço do cNet, o maior portal de tecnologia do mundo, é mais complicado e voltado para os consumidores norte-americanos - além de ser o mais fraco. Como diferencial, compara os resultados com o tipo de conexão e com o provedor desejado pelo usuário. É necessário fornecer o código telefônico do país para fazê-lo funcionar. No caso do Brasil, o número é 55.

  • Redação Terra