inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Conheça 10 aplicativos legais para o iPhone 3G

19 de julho de 2008 17h25

iBeer é um aplicativo que transforma o iPhone num copo de cerveja interativo. Foto: Reprodução

iBeer é um aplicativo que transforma o iPhone num copo de cerveja interativo
Foto: Reprodução

O iPhone é um celular que serve para escutar música, jogar games, navegar na web, usar mapas com GPS, fotografar, fazer anotações e, além de tudo isso, telefonar. Esses recursos podem não ser nenhuma novidade para um smartphone, mas o celular inteligente da Apple tem outros motivos para torná-lo tão cobiçado - entre eles, a grande oferta de aplicativos.

» Veja fotos dos aplicativos
» Brasileiros dizem ter desbloqueado iPhone 3G
» Apple mostra aplicativos desenvolvidos para iPhone 2.0
» Fórum: opine sobre os aplicativos para iPhone

Junto com o iPhone 3G a Apple lançou, no último dia 11, a App Store - que aproveita a semelhança da abreviatura em inglês para aplicativos "app" com "Apple" para fazer referência às Apple Stores, como são chamadas as lojas da companhia.

Somente no primeiro fim de semana após o lançamento do iPhone 3G em 21 países, foram vendidos mais de um milhão de aparelhos, e a App Store registrou 10 milhões de downloads, segundo o site Engadget.

A App Store funciona por redes de telefonia móvel ou Wi-Fi, e os aplicativos podem ser visualizados pelo iPhone ou no PC, com o software iTunes. São mais de 500 aplicativos para download, separados em categorias como Utilitários, Games, Música, Redes de Relacionamento, Notícias e Entretenimento.

A variedade é imensa, e abrange recursos bastante úteis ou completamente inúteis, divertidos ou não, elaborados ou simples. Boa parte dos aplicativos é gratuita, e a maioria dos que são pagos custa entre US$ 2 e US$ 10 (de R$ 3 a R$ 16, aproximadamente).

Quer ter uma idéia dessa variedade? Selecionamos 10 aplicativos legais para o iPhone que estão disponíveis na App Store:

ShoZu: existem vários aplicativos que conectam o usuário de iPhone a diferentes serviços de blog ou redes sociais, mas a vantagem do ShoZu é que ele faz isso com mais de 40 sites, incluindo Blogger, Twitter, Facebook e Flickr. O usuário pode fazer uploads, publicar posts, ler e escrever comentários ou atualizar seus dados. Melhor ainda: é grátis.

Remote: transforma o iPhone em um controle remoto para o computador, acionando o iTunes por meio de uma rede Wi-Fi. Comanda funções como play, pause, shuffle, e também permite ver bibliotecas, playlists e capas de álbuns, por exemplo, diretamente no iPhone. Disponível em várias línguas (inclusive português), o aplicativo pode ser baixado gratuitamente.

Phone Saber: o aplicativo é completamente inútil, mas pode ser muito divertido para quem sempre quis ter um sabre de luz como aqueles de Star Wars. Depois de escolher a cor do sabre, o usuário pode simular os movimentos da arma com o iPhone, gerando efeitos de som característicos. O download é gratuito.

Circulator: esse aplicativo é perfeito para quem não gosta de emprestar livros ou DVDs porque tem certeza de que eles nunca vão voltar. O Circulator é basicamente um organizador de empréstimos, registrando quando e para quem algo foi emprestado, quando deve ser devolvido e até qual deve ser o tom da cobrança que ele envia por e-mail ou SMS para a pessoa - simpático, neutro ou furioso. Custa cerca de R$ 9,50.

iBeer: transforma o celular em um copo de cerveja realista e interativo. Movimentando o celular, o usuário pode criar mais espuma na cerveja, bebê-la ou até passá-la para outro iPhone. Os efeitos sonoros incluem um arroto. Menores de 18 e motoristas também podem baixar o aplicativo, pelo equivalente a R$ 4,75.

Quitter: este é mais um incentivo para fumantes que querem abandonar o cigarro - principalmente para aqueles mais econômicos. A partir da data em que o usuário parou de fumar e considerando o quanto ele fumava diariamente, o Quitter faz os cálculos e parabeniza o ex-fumante não apenas pelo número de dias sem cigarro, mas também pela quantia economizada nesse período. A economia também é feita ao baixar o aplicativo, que é gratuito.

Dial Zero: telefonar para algum número de serviço de atendimento ao consumidor é sempre um teste de paciência. O objetivo desse aplicativo é pular a parte das gravações irritantes e ser atendido diretamente por uma pessoa. Essa discagem rápida é feita para até 600 empresas nos Estados Unidos. O serviço é gratuito.

Midomi: "Sabe aquela música que começa assim... lalarilalá?" O Midomi sabe. Esse aplicativo encontra músicas de quatro maneiras diferentes. O usuário pode cantarolar um trecho da música, dizer o nome do artista, digitar o título aproximado, ou ainda segurar o iPhone junto a uma caixa de som que esteja tocando a música. O Midomi diz qual é a música e o usuário não paga nada por isso.

BeatMaker: um estúdio de bolso que permite compor, gravar e fazer arranjos para criar músicas e compartilhá-las com outras pessoas. Com uma extensa biblioteca de samples e um sistema tátil de edição, o aplicativo é ideal para "composições intuitivas" e improvisos. O preço é consideravelmente mais alto do que a média - R$ 31 -, mas ele tem uma ótima cotação entre os compradores que opinaram no site.

iRetroPhone: o iPhone 3G está entre os celulares mais avançados do momento, mas nem assim escapa do gosto retrô de alguns usuários. Com esse aplicativo, a tecnologia de tela sensível ao toque acaba servindo para acionar o sistema de disco dos antigos telefones. O som da discagem, é claro, faz parte da volta no tempo. Para levar o iPhone para o século XX, é preciso desembolsar pouco menos de R$ 5.

Redação Terra