inclusão de arquivo javascript

Tecnologia

 
 

Em duas horas, campanha #EuSouGay chega aos TTs do Twitter

12 de abril de 2011 19h29 atualizado em 13 de abril de 2011 às 01h01

Em menos de duas horas, a hashtag #EuSouGay causou estranheza em alguns e virou bandeira de outros no Twitter, chegando a se fixar no Trending Topics Brasil, na tarde desta terça-feira. O projeto foi criado pela jornalista Carol Almeida e nasceu como uma campanha a favor do respeito às diferenças e contra a homofobia no Brasil.

No blog (http://projetoeusougay.wordpress.com), Carol convoca pessoas a enviarem uma foto segurando um cartaz com a mensagem: #EuSouGay. As fotos vão virar um vídeo-montagem a ser editado por Daniel Ribeiro, diretor dos curtas premiados Café com Leite e Eu Não Quero Voltar Sozinho. Do momento em que a jornalista postou a primeira mensagem no Twitter, às 16h09, uma onda de pessoas usaram a mensagem para apoiar, enquanto outras estranharam a presença da frase no TT's. Houve até quem fizesse piadas com times de futebol e bandas.

A ideia surgiu a partir da notícia da morte de Adriele Camacho de Almeida, 16 anos, encontrada morta na cidade de Tarumã, Goiás, no último dia 6. Adriele teria sido assassinada pelo pai e os irmãos de sua namorada. "Quando eu vi a notícia que a menina tinha morrido, e o delegado afirmava que era um crime de homofobia, foi a gota d'água, depois de uma série de notícias que foram divulgadas do (deputado federal) Jair Bolsonaro e mensagens que incitavam o ódio", diz Carol.

"A mensagem mais importante é que não é uma campanha contra a homofobia, mas sim uma campanha contra o ódio contra raças, contra sua origem. É uma campanha contra o ódio às mulheres. É uma campanha que tem como objetivo maior a solidariedade e o respeito pelo próximo e pelas diferenças", afirma.

Terra