Tecnologia

publicidade
12 de julho de 2011 • 14h16 • atualizado às 14h17

Quem leva a melhor na briga entre os tablets Xoom e iPad 2?

Entre prós e contras, descubra qual tablet leva vantagem: o da Apple ou o da Motorola
Foto: Geek
Stella Dauer

O embate dos campeões. É como um clássico das madrugadas, uma luta de Mike Tyson versus Evander Holyfield. Bem parecido mesmo, já que mesmo assistindo à luta, já quase sabíamos quem levaria a melhor.

Frente a frente com os monstros da tecnologia por alguns dias, o Apple iPad 2 foi colocado para lutar com o Motorola Xoom, a aposta do iOS contra a aposta do Android aqui no Brasil. E mesmo com você fazendo "tsc, tsc", vamos falar sobre os dois para que você saiba que nada pode ser bom em tudo.

Design
Comecemos pelo design. Pode-se discorrer sobre isso em ambos os aparelhos, mas a opinião final é sempre de quem vai comprar. O iPad 2 é mais quadradinho e mais fino (0,8 cm), enquanto o Xoom é mais comprido e mais grosso (1,2 cm). A diferença de peso entre os dois é de apenas 100 g, com o tablet da Apple como peso-pena.

O iPad está disponível em duas cores, branco e preto, que ficam na moldura da tela, abaixo do vidro. O Xoom não tem variação de design, e possui traseira em aço escovado e uma parte emborrachada. Não há qualquer botão físico na frente do Xoom, apenas o de energia atrás e o de volume ao lado. Já o iPad 2 possui o botão home na frente, o de volume e travamento na lateral e o de energia em cima. Os dois são bonitos, ponto.

Resultado: Empate

Tela
Aqui temos um terreno onde o Xoom quase leva. Além de possuir uma tela maior - 10,1 polegadas contra 9,7 polegadas do iPad 2 -, a resolução geral em pixels também é ligeiramente superior: 1280x800 pixels - 150 pixels por polegada - no Xoom e 1024x768 pixels - 132 pixels por polegada - no iPad 2.

Como desvantagem, há o brilho: a tela retroiluminada por LEDs do iPad 2 é muito mais brilhante que a do Xoom, que é apenas TFT, mas o aspect ratio desse último é melhor para assistir conteúdo HD widescreen. Essa tela mais achatada do Xoom o deixa em melhores condições para a reprodução de vídeos em widescreen, enquanto o iPad 2 consegue funcionar bem nas duas posições. Isso também é fácil de notar na própria disposição dos aparelhos. Normalmente somos guiados a segurar o iPad em posição vertical, enquanto a largura e os botões do Xoom fazem com que naturalmente o seguremos em posição horizontal.

E não caia nessa história da Apple de que sua tela tem proteção contra marcas de dedo. Meus dedos são óleo puro - nem tanto - e marquei as duas telas igualmente durante o uso, não há vantagem em nenhum dos dois aqui.

Resultado: Empate

Sistema operacional
Cada versão do iOS chega melhor. No caso, o iPad 2 conta com a 4.3, que já é ótima. Esperamos todos ansiosamente pela versão 5, que promete melhorias ainda mais fantásticas. O iOS já vem sendo utilizado há anos e desde sua primeira versão já chegou bonito e bom - fora a falta da multitarefa. É um sistema fácil de configurar e de navegar, com visual lindo.

O Google levou algum tempo pra lançar uma versão do Android específica para tablets. Demorou tanto que algumas empresas - como Samsung e ZTE - lançaram produtos com antigas versões, apenas para smartphones. Resultado desastroso.

Uma versão otimizada finalmente chegou com a 3.0 (codinome Honeycomb), mas ainda se mostra de difícil aprendizado para os usuários, mesmo sendo muito bonita e bem acabada. Ainda não conseguiu, por exemplo, superar a suavidade do scroll na interface do iOS, suave e precisa.

As vantagens do Android em relação ao iOS chegam com um muito melhor sistema de notificações e maior liberdade no sistema. Enquanto a Apple é muito rígida e até apaga aplicativos sem explicações, é possível colocar qualquer coisa no Xoom, até pornografia. Ah, e esse aparelho roda Flash sem nenhum problema, enquanto o iPad 2 ainda não roda nada desse tipo.

Sendo assim, é muito mais fácil e mais indicado personalizar seu Xoom. A interface da home pode ser recheada de widgets de formatos diferentes e com grande utilidade. Já no iPad 2 quase não há personalização, mas sua interface fica mais elegante, mais organizada.

Resultado: Empate

Usabilidade
A Apple tem anos e anos de pesquisas nas costas para entregar ao usuário um produto simples e fácil de navegar, e algo tão, mas tão legal que ele vai se perguntar como viveu sem isso até hoje. E é por isso que a usabilidade do iPad 2 é matadora.

O sistema bem desenvolvido torna os toques leves, suaves e precisos, como navegar em seda. Os aplicativos e a interface são belos, dá gosto de olhar. O iOS é quase tudo de bom, tanto que há vários vídeos na internet de bebês e até gatos interagindo com o iPad. E se funciona com gatos, então funciona com quase qualquer um.

O Google se esforçou e, junto com a Motorola, entregou um Honeycomb muito melhor adaptado para tablets, com botões mais proporcionais e aplicativos que usam e abusam da tela grande na hora da navegação. Foi um salto e tanto em relação às versões 2. O sistema é mais escuro para não agredir os olhos e muito mais elegante, mas ainda tropeça na funcionalidade.

Para quem já mexeu com algum Android, já vai parecer um pouco complicado se acostumar ao novo lugar dos botões. E para quem nunca mexeu, vai precisar de paciência por algumas semanas até "pegar o jeito". Não é nada impossível, mas não é "plug and play" como a Apple.

Um item importante em que os dois se saem bem é no teclado. É um bom medidor de usabilidade e tanto o iPad 2 como o Xoom se viraram bem. Tanto as teclas achatadinhas do Xoom como as quadradinhas do iPad 2 têm bastante espaço entre si, funcionam para textos digitados rapidamente e têm boa resposta de toque, algo essencial. O Honeycomb tem inclusive algumas teclas de atalho a mais.

O navegador do Honeycomb é mais completo, e se assemelha àqueles encontrados em desktops, algo como o Firefox. As abas ficam acima da barra de endereços, e podem ser abertas em abundância. O iPad 2 também tem diversas abas, mas é mais complicado interagir com elas.

Resultado: iPad 2

Hardware e processamento
Um empate técnico. O Xoom possui processador de 1GHz NVIDIA Tegra 2 AP20H Dual Core e o iPad 2 processador de 1GHz Apple A5 dual core. O primeiro traz memória RAM de 1GB, enquanto que a do segundo é de 512MB.

Isso dá praticamente no mesmo, já que o iOS é otimizado para essa RAM. Ambos aguentam bem a multitarefa e têm ótimo desempenho nos navegadores. A exibição de filmes, os jogos, aplicativos mais pesados, tudo roda sem engasgar nos dois. Então não tem vantagem pra nenhum dos lados.

Os dois têm Wi-Fi, Bluetooth e GPS (versões Wi-Fi do iPad 2 não têm), mas por enquanto só o iPad 2 possui conexão 3G. Entretanto, o Xoom já vêm com o aplicativo para se transformar em hotspot Wi-Fi e compartilhar sua conexão com até outros 5 dispositivos.

Temos quase os mesmos sensores nos dois: acelerômetro, giroscópio e sensor de luz ambiente. Mas o Xoom traz o "incrivelmente útil" barômetro! É isso mesmo, um barômetro. Não consegui encontrar para ele nenhuma outra atribuição do que tornar a medição do tempo mais precisa.

Resultado: Empate

Câmera
Aqui o Xoom ganha, mas também sem muita empolgação. O tablet da Motorola traz câmera frontal de 2 MP e traseira de 5 MP com flash de LED duplo, autofoco e gravação de vídeo em 720p, o HD simples.

Já o iPad traz câmera frontal VGA e traseira sem divulgação (se não divulga, é porque não deve ser muito) e sem flash. Mas também faz vídeos em HD simples.

A Motorola nunca acertou muito a mão com câmeras em seus portáteis. A do Xoom não é nada incrível, mas tem mais qualidade que o iPad 2. Ele até poderia perder pro iPhone 4, mas a Apple não quis se esmerar da mesma forma em seu tablet, então sai perdendo.

Ambos fazem vídeos com qualidade razoável, e tiram fotos razoáveis. A vantagem do Xoom está na maior qualidade da câmera frontal - ótima para fazer vídeo chamadas - e no flash da câmera traseira.

Resultado: Xoom

Acessórios
Mais um nocaute do iPad 2. Todos os fabricantes de acessórios querem produzir para o tablet da Apple. Também, as coisas vendem como água, tanto que até a própria Apple vende coisas. O acessório mais famoso é a Smart Cover, capinha que se liga ao iPad 2 com precisos ímãs e que se dobra para formar pezinhos. Além disso, liga e desliga o iPad conforme o uso - que falha às vezes, vale lembrar.

São capinhas, docks, adaptadores (com apenas uma porta proprietária, são muitos deles), películas e tudo o mais para o iPad 2. Para o Xoom serão produzidas as mesmas coisas, só que com bem menos modelos e talvez poucos deles cheguem ao Brasil. Mas não se preocupe, é tudo caro, não importa a marca.

Resultado: iPad 2

Aplicativos
Nesse quesito, pelo menos por enquanto, o Android deveria sair silenciosamente e de fininho de cena. Ele perde feio para o iPad 2. Enquanto já existem mais de 65 mil aplicativos para a tablet da Apple e o redimensionamento dos aplicativos para iPhone, o Xoom e o Android amargam com pouco mais de 100 aplicativos para grandes telas e resoluções. E qualquer aplicativo que não seja do tamanho ideal para o Xoom fica jogado em um canto ou se espalha de forma esquisita pelo display.

Além disso, é certo que 88 mil aplicativos já devem ser bem mais do que o suficiente para você lotar seu Xoom de coisas, mas os olhos gananciosos por mais apps brilham quando falamos em 300 mil programas para iPad. Sem contar que, geralmente, a qualidade dos aplicativos produzidos para a Apple é maior, devido ao seu restrito processo de seleção. Como no Market do Android passa qualquer coisa, você pode encontrar literalmente qualquer coisa.

Quando falamos de aplicativos que já vêm no dispositivo, até que temos um empate. Enquanto que o iPad 2 se esforça para trazer o essencial do essencial, com email, agenda, contatos, mapas, vídeo e música (e algumas firulas como o FaceTime e o PhotoBooth), o Xoom é mais generoso e traz todos os aplicativos normais do Android: Google Search, Maps, Gmail, YouTube, Google Talk, visualizador de documentos, vídeos, um editor simples de vídeos e navegador.

Resultado: iPad 2

Música e mídia
Mais empates, mais empates. No caso dos vídeos, já temos o empate das telas. Mas na hora da reprodução, uma pequena vantagem do Xoom: ele reproduz vídeos em Full HD (1080p), e o iPad 2 apenas em 720p. E como o Xoom possui porta HDMI para uso sem adaptadores - compre separadamente o do iPad 2 -, também fica em vantagem.

Só que entra em cena aqui a iTunes Store, recheada de músicas para comprar e vídeos para alugar - e comprar - que fazem do usuário um cara bem feliz. Ainda não está tudo disponível para o Brasil, mas isso é uma questão de tempo.

No caso do som, temos o iPad 2 com sua loja de um lado, mas os alto-falantes estéreos do Xoom do outro. Tanto para ver filmes como para escutar música, é muito melhor quando podemos contar com dois falantes ao invés de um.

Resultado: Empate

Bateria e armazenamento
Os dois tablets também oferecem duração de bateria igual, já que oferecem cerca de 10 horas para uso de web via Wi-Fi e cerca de 9 horas para uso da web via 3G.

O Xoom já possui entrada para cartão microSD (provavelmente aguentando até 32GB), mas ela ainda não funciona, o que quebra um pouco as pernas. Enquanto isso, o iPad 2 é oferecido aqui no Brasil com três tamanhos de armazenamento, com 16 GB, 32 GB e 64 GB. Isso é essencialmente um empate. Se um dia a Motorola trouxer outros tamanhos de armazenamento e liberar o uso do SD, aí não vai ter pra ninguém, pois um aparelho com 64GB e mais um microSD de 32 GB chegará aos 96GB.

Resultado: Empate

Resultado, preço, e para quem serve cada um
Placar final: iPad 2 9 x 7 Xoom

No final, não ficou tão ruim para o Xoom, assim como o Evander Holyfield ainda era visto como grande boxeador, mesmo perdendo. Nas funções em que o Xoom ganha, ele ganha com classe, pelo menos.

Comparativamente, o Xoom acaba sendo mais barato que o iPad. Infelizmente, como a Motorola só disponibilizou o modelo de 32GB com Wi-Fi no Brasil, temos modelos de iPad 2 mais baratos, caso do exemplar de 16GB e Wi-Fi, que chega a custar até R$150 a menos. Mas o dobro de armazenamento por apenas R$150 não é quase nada, duro mesmo é a falta de modelos com 3G do Xoom, ou de modelos de 64GB.

Para quem é cada um deles é complicado. De início, o Xoom será mais para quem estava esperando uma tablet com Android, ou é fã do sistema, ou não gosta de Apple. Fora os detalhes que explanamos nessa resenha, como tela e processamento melhores, a maioria dos usuários, que quer mesmo é uma enxurrada de aplicativos, vai acabar pendendo para o lado do iPad 2. Não há nenhuma feature realmente matadora no Xoom que faça com que alguém mude mesmo de ideia.

O iPad 2 fica sendo para quem não entende muito de tecnologia e quer algo fácil de usar. O Xoom fica pra os fãs de Android, ou aqueles que gostam mesmo é de fuçar e explorar os aparelhos como quiserem, coisa que a Apple não permite.

Prós do iPad
- Uma enchente de mais de 300 mil aplicativos disponíveis;
- Usabilidade que conquista até gatos;
- Versões para todos os gostos e bolsos.

Contras do iPad
- Nada de câmera boa como a do iPhone 4;
- Nada de expansão de memória;
- Nada de Flash ou USB.

Prós do Xoom
- Câmera HD com flash;
- Tela ótima para vídeos e porta HDMI;
- Total integração com Google e outros gadgets Android.

Contras do Xoom
- Poucos aplicativos otimizados disponíveis;
- Ainda não tem versão 3G disponível;
- Sem suporte para cartão microSD.

Geek