2 eventos ao vivo

Software livre não é só cópia da Microsoft e pode dar dinheiro

30 jun 2011
10h54
Rafael Maia
Direto de Porto Alegre

Na 12ª edição do fisl - Fórum Internacional Software Livre - o palestrante da empresa 4Linux, Rodolfo José Martorano Gobi, veio para discutir o que para ele, após 12 anos, ainda se sustenta como mitos do universo open source no mundo. Segundo Martorano, dois dos maiores problemas são a noção de que não se pode ganhar dinheiro com o desenvolvimento de Software Livre e de que a maior parte da produção é uma mera cópia de tudo que a Microsoft já fez.

Décima segunda edição do fisl debate a neutralidade na rede, entre outros assuntos
Décima segunda edição do fisl debate a neutralidade na rede, entre outros assuntos
Foto: Nabor Goulart/Ag Freelancer / Especial para Terra

Para Martorano, o ponto principal da questão financeira é que o Software Livre, como qualquer outra feramenta da web, por exemplo, é um meio para fazer dinheiro, e não um fim. "A existência de uma Dell hoje só foi possível porque IBM abriu o código do PC", exemplificou o palestrante, que concluiu afirmando que, na verdade, o Software Livre diminui as barreiras para o aparecimento de novas e pequenas empresas.

Quanto à questão de cópia da Microsoft, embora o palestrante reconheça que a pirataria é a mãe do Software Livre, trata-se de um problema superado. "Os grandes centros de desenvolvimento Open Source hoje estão fora das empresas tradicionais de TI", afirmou Martorano.

Para o palestrante, a difusão da tecnologia e das ferramentas Open Source tornam possível o nascimento de empreendimentos com face distinta da Microsoft, como é o caso do Yahoo!, do Google e do Facebook. O sucesso dessas empresas, aliás, se dá porque elas enxergam a internet e o Software Livre como um meio - e não como uma fonte de dinheiro.

A palestra também tratou de alguns outros mitos, considerados pelo público presente como ultrapassados, como a ideia de que grandes empresas não usam softwares de código aberto, de que o Open Source é hostil à propriedade intelectual e de que o Software Livre não é confiável em termos de segurança do usuário.

Fonte: Terra
publicidade