Tecnologia

publicidade
01 de julho de 2011 • 15h48 • atualizado às 18h10

Wikileaks foi só o começo, diz fundador do Openleaks

Daniel quer fazer do Openleaks uma real e eficaz ferramenta para a transparência mundial
Foto: Flávia de Quadros/indicefoto.com / Divulgação
Rafael Gustavo Maia
Direto de Porto Alegre

Em 2010, o site Wikileaks sacudiu o mundo ao vazar uma série de telegramas confidenciais do governo americano. Hoje, em 2011, o dissidente do grupo de Julian Assange, Daniel Domscheit-Berg, quer ir além. Em palestra durante o 12º Fórum Internacional Software Livre (fisl12), Daniel afirmou que o Wikileaks foi só o começo e quer fazer do novo projeto, o Openleaks, uma real e eficaz ferramenta para a transparência mundial.

Segundo Daniel, o mundo está se tornando cada vez mais "global" no sentido de integração. Para que este inevitável movimento aconteça de forma ideal, a transparência é uma ferramenta imprescindível para este objetivo. E quando se fala em transparência de assuntos de interesse público, Daniel destaca o papel do "whistle blower" - termo em inglês que define uma pessoa que, protegida, vai a público denunciar ações ilegais de um governo, de um órgão ou de uma companhia, por exemplo.

É esta a base e o principal objetivo do Openleaks. "Nós queremos uma ferramenta que permita que a informação chegue a outras pessoas sem expor as fontes de maneira alguma", afirmou Daniel, destacando que a ideia do Openleaks é ser uma estrutura que fornece a tecnologia para o compartilhamento de informações de modo seguro.

Daniel também acredita que este trabalho é definido pela responsabilidade social, e não pela fama, e entende que o sistema ideal acontecerá quando houver a existência de diversos sites que vazem este tipo de informação, mais debates públicos sobre o assunto e uma melhor legislação para proteger as fontes. Tudo isso, nas palavras de Daniel, para gerar um mundo em que a transparência e a prestação de contas sejam dois conceitos amplamente arraigados no cotidiano.

O OpenLeaks
Daniel virou figura pública ao ser a "cara" do WikiLeaks, ao lado de Julian Asange, durantes três anos. Após divergências, decidiu abandonar o projeto e atualmente sofre ameaças do antigo parceiro que promete processá-lo por sabotagem. Autor do livro Os bastidores do WikiLeaks, Domscheit-Berg, trouxe a público os problemas estruturais de uma das organizações mais polêmicas dos últimos anos.

O OpenLeaks foi criado para atuar com responsabilidade na divulgação de material recebido através de vazamentos via fontes que desejam permanecer anônimas no processo. Criado no ano de 2010, tem como objetivo utilizar a inteligência coletiva para dar suporte aos sites que promovem denúncias, tornando o vazamento mais amplo e, principalmente, diminuindo o risco para aqueles que buscam combater a corrupção.

Terra