2 eventos ao vivo

WWDC: com Steve Jobs, Apple anuncia Lion, iOS e serviço na nuvem

6 jun 2011
14h59
atualizado às 17h18

Ao gritos de "eu te amo", Steve Jobs subiu ao palco do WWDC 2011 em San Francisco, Estados Unidos nesta segunda-feira. "Nós vendemos tudo em apenas dez horas, queríamos ter vendido mais ingressos, mas nós não saberíamos onde colocá-los", disse Jobs sobre o evento da Apple para desenvolvedores. Como sempre, ele deixou claro o que anunciaria: "três coisas nesta segunda-feira: Lion, iOS 5 e algo na nuvem", disse o CEO.

No palco do WWDC, Jobs fala sobre o Mac OS X Lion
No palco do WWDC, Jobs fala sobre o Mac OS X Lion
Foto: AP

Logo em seguida, os executivos da Apple Phil Schiller e Craig Ferericch subiram ao palco para iniciar os anúncios e apresentar alguns números da Apple. De acordo com eles, são mais de 54 milhões de usuários de Mac em todo o mundo, número sempre em crescimento. Em comparação ao PC tradicional (que encolheu 1% no mercado), a Apple tem se saído muito bem ao apresentar um aumento de 28% nas vendas em relação ao ano passado.

Mac OS X Lion
Schiller e Ferericch começaram com o Lion, sistema operacional da Apple, cuja primeira versão foi lançada há dez anos. De acordo com eles, a maior novidade é que agora o sistema se torna multitoque e sensível a gestos via trackpads dos notebooks, capacidade de rodar aplicativos em tela cheia e o novo recurso "Mission Control", unifica as funções do Spaces e do Exposé, entre outras 250 novas funções. O browser Safari, o iCald e outros poderão abrir em tela cheia, por exemplo.

O PhotoBooth, agora também possível em tela cheia (full screen) reconhece rostos e cria animações que interagem com o usuário. Além disso, o Lion salva automaticamente versões dos arquivos no qual o usuário está trabalhando. E quando o usuário abrir um aplicativo, ele retorna exatamente de onde se parou. O Lion terá também aplicativo de Twitter e o AirDrop, nova funcionalide do Finder que facilita a troca de arquivos entre dois computadores. E, assim como o Gmail, agora o Mail do Lion separa as conversas por tópicos. Ao todo, são mais de três mil APIs no Mac Os X Lion, o qual estará disponível em julho na Mac App Store por US$ 29,90.

Schiller falou ainda da Mac App Store, loja de aplicativos instalada no sistema operacional. Ele afirmou que é o principal ponto de vendas de software para os desenvolvedores, ultrapassando varejistas convencionais como Best Buy e Wal Mart. No Lion, a Mac App Store virá integrada ao sistema operacional, permitindo compras dentro de apps (como já ocorre com o iPhone), notificações automáticas (tipo "push", também igual ao iOS) e atualizações automáticas.

iOS 5

Já para o iOS 5, o sistema operacional da Apple para seus dispostivos móveis os executivos começaram por alguns números bastantes impressionantes, como as 225 milhões de contas criadas na iTunes Store, os mais de 130 milhões de títulos comercializados no iBookstore, os 200 milhões de dispositivos iOS e 25 milhões de iPads em todo o mundo. Scott Forstall, vice-presidente sênior de software para iOS, disse também que, no iOS, foram vendidos 14 bilhões de aplicativos até o momento, gerando uma receita de US$ 2,5 bilhões para os desenvolvedores. A App Store, disse Forstall, já tem 425 mil aplicativos para uso geral e 90 mil exclusivos para iPad.

Segundo os executivos, o iOS 5 tem mais de 1,5 mil novas APIs e 200 novas funcionalidades. Uma delas é a central de notificações, algo semelhante ao que já ocorre no Android, o Newsstand, uma espécie de iBooks para jornais e revistas e um aplicativo de Twitter, com câmeras de fotos integrados bem como compartilhamento via Safari, YouTube e etc. O navegador Safari também é repaginado no novo sistema móvel, incluindo um modo "reader" que formata sites para melhor leitura em dispositivos móveis, um "reading list" - lista de leitura para marcar como favorito e ler depois, e navegação em abas, algo bastante útil para o iPad.

Os "reminders" - ou lembretes - permitem criar listas pessoais que sincronizam com o iCal e Outlook e que usam geolocalização para lembrar o usuário dos compromissos. E a câmera dos aparelhos com iOS vai ficar mais rápida: um clique duplo no botão dos aparelhos abre a câmera, com atalho na tela inicial (travada) e usar o botão de volume como atalho para clicar. A câmera também terá edição rápida integrada (cortar, girar, remover olhos vermelhos e o "aprimorar com um clique" do iPhoto).

Como no Mac OS X Lion, o Mail (cliente de correio eletrônico) foi renovado, com melhorias na formatação de texto, nova busca e maior suporte a e-mails corporativos. Mais uma previsão confirmada foi o fim da necessidade de usar o iTunes para sincronizar sempre os aparelhos iOS. Com o iOS 5, não será mais preciso ter um PC (ou Mac) para ativar um novo aparelho, com atualizações diretas pela rede sem fio/3G e que terão arquivos de upgrade cada vez menores.

O Game Center também ganha novos recursos, como fotos nos perfis e capacidade de comprar games novos de dentro da plataforma. O Game Center também teve seus números divulgados: mais de 100 mil jogos e apps de entretenimento disponíveis na App Store. O Game Center tem nove meses de idade e 50 milhões de usuários, enquanto o Xbox Live tem oito anos e 30 milhões de usuários. Os executivos da Apple também falaram do iMessage, um novo sistema de mensagens para o iOS de textos, fotos, vídeos e mensagens em grupo. O iMessage funciona via 3G e Wi-Fi e as conversas mudam de dispositivo: do iPhone para o iPad e vice-versa.

O iOS 5 estará disponível no segundo semestre, no outono do hemisfério norte, para iPhone 3GS, iPhone 4, iPad 1 e 2 e iPod touch de terceira e quarta geração.

iCloud
De volta ao palco, Steve Jobs começou seu anúncio falando da loucura pela "nuvem", que ela é mais do que se vê no céu. "Manter os dispositivos sincronizados está nos deixando malucos", disse Steve Jobs, provocando muitos risos na plateia animada. Em seguida, ele disse que a Apple está colocando tudo na nuvem, o famoso iCloud.

O iCloud armazena contatos, calendários, e-mails. Por exemplo, quando novos contatos forem adicionados ao iCloud, eles são sicronizados com todos os demais dispositivos Apple. E, o melhor de tudo, de graça. Importante dizer que muito já se vê no Google e no seu sistema operacional para dispositivos móveis, o Android. A App Store e o iBooks também migram para a nuvem. O iWork também poderá ser editado na nuvem e depois continuados nos computadores ou dispositivos móveis. O iCloud armazena até mil fotos por até 30 dias. Fotos permanentes precisam estar em álbuns. O iCloud estará ligado no iOS 5 por padrão e terá 5 GB gratuitos de armazenamento, sem contar músicas, livros, aplicativos ou Photo Stream.

O iTunes também foi parar nas "nuvens" e, ao contrário do que alguns podiam temer, não será necessário pagar várias vezes para ter a mesma música em diferentes dispositivos. As músicas podem ser baixadas em até dez dispositivos.

One more thing
No tradicional 'One More Thing' (uma coisa mais), Jobs anunciou o iTunes Match, que procura músicas no HD do seu Mac e, se o iCloud tiver, elas já são enviadas para a nuvem. Caso isso não ocorra, o usuário pode subí-las para a nuvem. Isto é, músicas ripadas pelos usuários serão sincronizadas por Wi-Fi ou cabo. Tudo pelo preço de US$ 24,99 ao ano.

Steve Jobs mostrou ainda um novo data center da Apple, na Carolina do Norte. Ecologicamente correto, este é o terceiro centro de dados da empresa.

Com informações da Mac+, TecMundo e Zumo Notícias.

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade