3 eventos ao vivo

Dependentes em internet não conseguem controlar os impulsos

Psicológo Cristiano Nabuco de Abreu estuda os problemas decorrentes do "vício" em tecnologia

29 jun 2013
14h00
atualizado às 16h08
  • separator
  • comentários

A medida que a tecnologia fica mais veloz, barata e portátil, a tendência é o abuso e a dependência crescerem de forma exponencial.

<p>Cristiano Nabuco diz que a tecnologia deve ser utilizada de forma consciente</p>
Cristiano Nabuco diz que a tecnologia deve ser utilizada de forma consciente
Foto: Divulgação

E os problemas decorrentes desta dependência (vício) vão além de uma depressão. Uma criança em contato excessivo com tecnologia pode ter prejudicada a consolidação da habilidade humana de percepção das emoções, uso e entendimento delas. A afirmação é do psicológo Cristiano Nabuco de Abreu, 50 anos, Coordenador do Grupo de Dependência Tecnológica do Programa de Transtornos do Controle dos Impulsos do Hospital de Clínicas de São Paulo.

"Hoje, os pais estão perdendo a autoridade sobre os filhos, em função da inversão tecnológica. Eles são de uma geração cada vez mais conectada e nos ensinam. O problema é que isso vem acarretando desobediência".

Porém, não são apenas crianças que sofrem com a dependência tecnológica; adultos e idosos também.

Cristiano ressalta que a dependência (vício) em tecnologia (internet) é um transtorno de controle dos impulsos. Ele afirma que este vício está no mesmo patamar de problemas como a cleptomania e compulsões.

"Está cada vez mais complicado resistir ao impulso e ao uso da internet, e isso se torna patológico, acabando em perda progressiva de controle e aumentando o desconforto emocional".

Ele conta que a procura por ajuda para combater o vício tecnológico vem aumentando em decorrência de vários fatores: aspectos psicológicos (baixa auto-estima, depressão, fobias sociais, dentre tantos outros) e sociais (solidão, isolamento e o estilo de vida nos grandes centros urbanos).

Ajuda aos dependentes
O trabalho no Hospital de Clínicas de São Paulo linclui tratamento de psicoterapia de grupo, mais tratamento psiquiátrico e psicoterapia individual, quando necessário. A principal função é devolver aos pacientes a perspectiva do controle e da auto-regulação do uso da internet.

Para definir um "viciado", Cristiano explica que o principal critério é o uso abusivo, a forma e o propósito de uso. No site do grupo é possível realizar um teste para descobrir o grau de dependência.

Dentre os problemas, um dependente de internet apresenta depressão, privação de sono, perda de interesse em atividades sociais, produtividade reduzida no trabalho, e até problemas físicos, como dores de cabeça, problemas de visão, colunas, etc.

A convivência saudável com a tecnologia é salutar e importante. Facilita a vida em vários aspectos. O homem precisa controlar a tecnologia e não se deixar controlar.
 

Critérios de dependência de Internet
Apresentar, pelo menos, 5 dos 8 critérios abaixo descritos:
(1) Preocupação excessiva com a Internet
(2) Necessidade de aumentar o tempo conectado (online) para ter a mesma satisfação
(3) Exibir esforços repetidos para diminuir o tempo de uso da Internet
(4) Apresentar Irritabilidade e/ou depressão
(5) Quando o uso da Internet é restringido, apresenta labilidade emocional (Internet como forma de regulação emocional)
(6) Permanecer mais conectado (online) do que o programado
(7) Ter o Trabalho e as relações familiares e sociais em risco pelo uso excessivo
8) Mentir aos outros a respeito da quantidade de horas conectadas
Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade