5 eventos ao vivo

McAfee: Guatemala quer mandar milionário de volta a Belize

6 dez 2012
06h53
atualizado às 11h13

A polícia da Guatemala deteve o norte-americano John McAfee na quarta-feira por entrar ilegalmente no país e disse que vai tentar mandá-lo de volta para o vizinho Belize, de onde ele saiu enquanto era procurado para responder sobre a morte do vizinho.

John McAfee fugiu para a Guatemala, mas deve ser enviado de volta a Belize pelas autoridades
John McAfee fugiu para a Guatemala, mas deve ser enviado de volta a Belize pelas autoridades
Foto: Reuters

McAfee, que estava foragido há três semanas, atravessou a fronteira para a Guatemala com a namorada de 20 anos para escapar das autoridades de Belize que estão atrás dele para interrogá-lo como "pessoa de interesse" sobre o assassinato do também norte-americano Gregory Faull.

"Ele entrou ilegalmente no país e vamos buscar a expulsão dele por esse crime", disse o Ministro do Interior Mauricio López Bonilla. McAfee foi detido pela polícia guatemalteca e um membro da Interpol dentro do hotel Intercontinental na Cidade da Guatemala.

Um dos primeiros empreendedores do Vale do Silício a conquistar uma fortuna com a internet, o empresário de 67 anos ganhou milhões de dólares através do software antivírus que carrega seu nome.

A vida de McAfee tem sido marcada por polêmicas nos últimos anos, mas não existe mandado de prisão contra ele. A polícia de Belize diz que ele não é um suspeito principal.

Fernando Lucero, porta-voz do departamento de imigração da Guatemala, descartou uma deportação imediata para McAfee. O advogado do empresário, Telesforo Guerra, estava buscando um habeas corpus para libertá-lo e o norte-americano disse em seu blog (www.whoismcafee.com) que ele não voltaria a Belize até que um juiz de corte superior avaliasse seu caso.

McAfee foi levado a uma residência de propriedade do departamento de imigração, sob proteção de um pequeno grupo de policiais.

Ele vinha buscando asilo político na Guatemala, que trava uma prolongada disputa territorial com Belize.

Entenda o caso
John McAfee é o principal suspeito do assassinato do expatriado americano Gregory Faull, seu vizinho em San Pedro, Belize, país da costa nordeste da América Central, ao lado do México e da Guatemala. Faull foi encontrado morto com um tiro na cabeça na noite do dia 10 de novembro em sua casa. A polícia procurou McAfee no domingo (11) para interrogatório, mas ele se enterrou em um buraco na areia da praia, de onde observou a movimentação policial por 18 horas, e escapou dos agentes.

Para continuar fugindo da polícia, McAfee também pintou o cabelo. No dia 4 de dezembro, ele chegou à Guatemala, onde pede asilo político. Ele cruzou a fronteira entre os dois países ilegalmente acompanhado da sua noiva. De acordo com o jornal El País, o milionário andava armado como um mercenário em Belize. Desde que iniciou sua fuga, McAfee acusou ex-funcionários de planejarem incriminá-lo e matá-lo e, em uma entrevista, negou ser paranoico.

Segundo McAfee, que vem relatando sua fuga em um blog, ele está 'na mira' das autoridades desde que se negou a fazer uma contribuição a um político local. Em abril deste ano, ele teve sua casa em Belize invadida por policiais, que encontraram um laboratório de química, US$ 20 mil e um estoque de armas de fogo. McAfee chegou a oferecer US$ 25 mil como recompensa para quem provar sua inocência. Em 2010, McAfee vendeu para a Intel a empresa que criou em 1980. Desde então, não tem mais participação na companhia, que ainda leva seu nome.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade